As modalidades que deram destaque a Portugal em 2018
As modalidades que deram destaque a Portugal em 2018
28 - 12 - 2018  |   Actualidades   |  by Sports Partner

2018 foi um ano extraordinário para o desporto luso, em que os atletas fizeram conquistas inéditas em diversas modalidades. As escolhas tiveram como base aqueles que se destacaram devido à dimensão do feito e a história que o antecedeu.

A Sports Partner não pode deixar de partilhar convosco a selecção Desporto ao Minuto do que melhor se fez no ano de 2018.

Apreciem e partilhem, porque onde há desporto, há Sports Partner!

 

“João Sousa


2018 foi um ano absolutamente histórico para o ténis português, muito graças à campanha de sonho do atleta natural de Guimarães.

A primeira página de ouro da modalidade foi escrita logo em maio, quando João Sousa se tornou no primeiro atleta luso de sempre a conquistar o Estoril Open.

Menos de meio ano depois, João Sousa foi ao US Open tornar-se no primeiro tenista português a chegar aos oitavos-de-final de um Grand Slam, acabando derrotado pelo ‘eterno’ Novak Djokovic. Pelo meio, conseguiu um dos principais feitos da carreira, ao eliminar Alexander Zverev, então número cinco da hierarquia mundial, na segunda ronda do torneio de Indian Wells.

 

Miguel Oliveira: A acelerar em estradas nunca antes navegadas


Em maio, foi oficialmente confirmado como o primeiro piloto português da história a competir no MotoGP. No entanto, não embandeirou em arco e partiu para uma temporada repleta de sucessos. Em agosto, venceu o Grande Prémio da República Checa e subiu, pela primeira vez na carreira, à liderança do Mundial de Moto2. Protagonizou, com Francesco Bagnaia, uma intensa luta pelo título do escalão. No final, este acabaria por sorrir ao italiano, graças a uma ‘magra’ vantagem de nove pontos.

 

Inês Henriques: ‘Contra os canhões, marchar, marchar’


Depois de, em 2017, se ter tornado na primeira mulher campeã do mundo nos 50 quilómetros marcha, a atleta natural de Rio Maior conquistou o título europeu da modalidade na primeira vez em que esta foi incluída no programa dos Campeonatos da Europa de Atletismo. Isto no mesmo ano em que se sagrou campeã nacional dos 20 quilómetros marcha pela quinta vez na carreira, e no qual venceu o prémio de Atleta do Ano, entregue pela Confederação do Desporto.

 

Nélson Évora: Mais um salto para a história


O ano começou de forma auspiciosa para o atleta do Sporting, com a medalha de bronze conquistada em Birmingham, nos Mundiais de pista coberta, numa fase em que se encontrava longe da melhor forma física, fruto das lesões que o ‘atormentaram’.

Mas o melhor estava guardado para o quente agosto, quando, poucos dias depois do ouro de Inês Henriques, se sagrou campeão europeu no triplo salto, com o melhor registo do ano: 17,10m. Aos 34 anos, Nélson Évora continua a escrever uma das histórias de maior superação da história do desporto nacional.

 

Fernando Pimenta: O Marinheiro que ‘dobrou’ Montemor


2018 foi o ano em que o canoísta do Benfica se consolidou como um dos melhores atletas da história de Portugal. Nos Mundiais de Canoagem, que decorreram em Montemor-o-Velho, o atleta natural de Ponte de Lima conquistou, em menos de 48 horas, as medalhas de ouro em K1 1000m e K1 5000m. Se na primeira modalidade foi a primeira vez que se sagrou campeão mundial, depois do bronze em 2017, no caso da segunda, defendeu o título que tinha conquistado no ano anterior, na República Checa.

 

Seleção portuguesa de futsal para atletas com síndrome de Down


Já bem perto do final do ano, a equipa orientada por Pedro Silva conquistou o europeu da modalidade, trazendo para Portugal um título inédito. Uma campanha praticamente imaculada, na qual a equipa das quinas contabilizou quatro vitórias e uma derrota. A cereja no topo do bolo surgiu na final, quando bateu Itália, anfitriã e campeã do mundo em título, por categóricos 4-0.

por Notícias ao Minuto.”

Escreva aqui o seu comentário... *
Nome completo *
E-mail *
Website
Também pode pesquisar por:
Modalidade / Produto / Referência